Na obra, José Vitorino surge como um padrão de espírito de MISSÃO pelo bem público e conduz-nos pela sua atividade profissional, pelos cargos públicos, associativos e de dirigente do PSD (desfiliou-se em 1985).

O autor é acérrimo defensor dos jovens, (é histórica a sua iniciativa e luta pela Universidade do Algarve), solidário com os humildes, frontal, isento e fiel às suas causas, “contra ventos e marés”.

O livro é apresentado por uma linguagem simples e discorre sobre acontecimentos marcantes, em particular como paladino das liberdades, da participação cívica e do combate a corrupção.

Além disso, o autor conclui que Portugal está bloqueado, vergado ao peso de um Terreiro do Paço “mandão”, esbanjador e incapacitado, que asfixia a sociedade civil. 

Aponta a criação das regiões administrativas como a principal esperança para reerguer Portugal, e considera que o Algarve está pronto para avançar como região piloto. 

No livro são apresentados caminhos para o problema da água, exige o fim das portagens na A22, denuncia a descapitalização da região, faz uma profissão de fé nas relações com Andaluzia e reclama mais respeito pelas Comunidades Portuguesas. Além de um Plano de Renovação Económica, pela diversificação.

No livro “Vencer contra ventos e marés”, o autor reflete sobre a tese que o Estado deve criar um Fundo Solidário, para apoiar cidadãos/sectores/áreas geográficas carenciados vitimas de calamidades (inundações, incêndios, etc.).

Para saber mais compre o livro e tenha uma ótima leitura.Pontos de venda da obra “Vencer contra ventos e marés”:
– CTT Portugal;
– FNAC Guia;
– Livraria Sagres em Faro.