Posted in Comunicados
ALGARVE: HÁ NUVENS NEGRAS, MAS ESPERANÇA EM DIAS MELHORES COM OS NOVOS ÓRGÃOS DE SOBERANIA, afirmou José Vitorino na tomada de posse

ALGARVE: HÁ NUVENS NEGRAS, MAS ESPERANÇA EM DIAS MELHORES COM OS NOVOS ÓRGÃOS DE SOBERANIA, afirmou José Vitorino na tomada de posse

Pelo potencial do Algarve e capacidade das suas gentes o Paraíso está ao nosso alcance, mas no presente há nuvens ameaçadoras que justificam fundadas preocupações, pelo que conforme Objeto Social e Estatutos da nosssa Associação como Provedora da Região, juro empenhar-me para os superar,declarou José Vitorino ontem no ato da tomada de posse de Presidente  da Algfuturo- União pelo Futuro do  Algarve.
Nomeadamente, referenciou: estrangulamentos no setor turistico cujo arranque para uma forte revitalização e sustentabilidade tarda; turismo-dependência excessiva com fragilidade dos outros setores; grave doença da saúde; pobreza; desertificação do interior e serra; portagens; e as mais recentes ameaças da exploração de petróleo e intenção de autorizar na zona do sotavento aquacultura nas áreas da pesca artesanal.Contexto em que, salientou, a Região Administrativa se revela fundamental, uma vez que ao longo de décadas muitos problemas não só não se têm resolvido como se têm agravado.
Mau grado os problemas existentes, José Vitorino destacou que a eleição e posse dos primeiros dirigentes da Algfuturo ocorreram num tempo de esperança para um Algarve e país melhores com novos PR, Parlamento e Governo, Órgãos de Soberania que saudou e a quem manifestou solidariedade institucional para uma cooperação plena, que irá ser formalmente expressa.
Disse sentir-se muito honrado com uma votação unânime de votos a favor em votação secreta, mas enfatizou que a honra maior é poder pôr ao serviço do Algarve e do país a sua experiência e saberes de 42 anos de vida empresarial, associativa e em cargos públicos e deixando sementes de trabalho cívico para os vindouros.
Recorda-se que a Algfutro é uma Associação inovadora em Portugal, com atividade principal económico-empresarial, mas considerando a interligação de toda a sociedade com uma componente também sociocultural.
Anexam-se os nomes dos membros eleitos em que grande número são ou foram dirigentes associativos e torna-se público que nenhum dirigente auferirá qualquer remuneração ou compensação.
Partilhe este artigo!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin