Posted in Comunicados
– TURISMO : ALGARVE RECLAMA NOVAS E URGENTES MEDIDAS DE FUNDO E ELIMINAÇÃO IMEDIATA DAS MAIS PREJUDICIAIS

– TURISMO : ALGARVE RECLAMA NOVAS E URGENTES MEDIDAS DE FUNDO E ELIMINAÇÃO IMEDIATA DAS MAIS PREJUDICIAIS

– Outubro bem; janeiro/outubro abaixo das expetativas; e para o conjunto do ano  mantém-se a forte sazonalidade que lança o Algarve nas bermas da insustentabilidade.

1. No âmbito do seu barómetro económico-empresarial, ao analisar os indicadores ontem publicados pelo INE, a Associação empresarial Algfuturo concluiu  que para a hotelaria no mês de Outubro os resultados foram bons, confirmando as informações  já recolhidas. Os aumentos no mês em relação a 2014 ficaram próximos das médias nacionais, com mais10,2% nos hóspedes,mais 5.6% nas dormidas e 13.3 nos proveitos /aposento, versus acréscimos nacionais de 10%,6,9% e 14.9%.Contudo, acumulando de Janeiro a Outubro, constata-se que a tendência do ano ficou abaixo das expetativas e com niveis de subidas que foram os mais baixos de entre todas as regiões do país, nos hóspedes( 3,5 versus 6,7)  e nas dormidas( 2,2 versus 6,4). E nos proveitos/aposento,apesar de positivo com mais 12%, apenas a Madeira teve um aumento inferior.


Por outro lado, em relação a 2014 a sazonalidade mantem-se a um nivel muito alto, projetando-se para 2015, segundo as estimativas da Algfuturo,a manutenção de 58% das dormidas nos quatro meses da época alta e apenas 42%  nos oito meses da época baixa.Em termos absolutos,a subida será de 2 a 3 %, mas para um total estimado em 16,5 milhões ainda se ficará abaixo da barreira dos 7 milhões, em contraponto aos cerca de 9,6 milhões na época alta.
Na hotelaria global, na média mensal de dormidas a relação é cerca de três vezes superior  de junho a Setembro comparado com os restantes oito meses, mas considerando o total de camas existentes em todos os meios de alojamento, a relação rondará os seis para um, criando gravíssimos problemas e ruturas no tecido empresarial e social que lançam o Algaarve nas bermas da insustentabilidade.
2.É matéria que tem merecido a maior atenção da União pelo Futuro do Algarve, estando já a ser aprofundada num dos 19 Guiões Estratégicos para  a Sustentabilidade do Algarve e que será aberto à participação pública.
De qualquer modo, para os dirigentes da Algfuturo e como resultado dos estudos já feitos e do que têm auscultado, de entre outras ações e  devidos detalhes, são indispensáveis e urgentes( e algumas imediatas) medidas em torno dos seguintes Eixos de ataque à sazonalidade:
– Promoção externa do Algarve-Muito mais intensa,com muito mais meios financeiros e autonomia de ação da ERTA, ao contrário do que agora acontece. O modelo nacional atual não respeita a dimensão e diversidade do alojamento e outras componentes da oferta e tem prejudicado muito a Região.
– Captação de andaluzes- Tem que ser posto fim às portagens e avançar com a ligação ferroviária, tendo em especial em conta os 8,5 milhões da Andaluzia.
-Ligações aéreas- Intensificar o aumento e diversificação de voos.
– Plano Geral de Requalificação dos Espaços Públicos-Com financiamentos da União Europeia e Governo central, incluirá a rede de estradas secundárias, sinalética, bermas, muros circundantes, espaços verdes, limpeza, etc, numa vasta operação de alindamento e com manutenção.
– Produtos complementares ao sol e praia e outras áreas vitais -Dominios da saúde, segurança,história e cultura e produtos da natureza, terra e mar têm também que ser garantidos e/ou devidamente promovidos

Partilhe este artigo!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin